Receba Samizdat em seu e-mail

Delivered by FeedBurner

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

ENTRE



Entre. A porta está só encostada. Não deixei aberta porque preciso
de um resquício de decência — foi assim que aprendi sobre o pudor. 
Algum afastamento mínimo entre mim e esses seus olhos de incêndio
e essas suas mãos que mapeiam e essa sua mente descarada. 
Um de nós há de ser entrega reticente. 
Entre. Limpe os pés no tapete da porta. Não quero pegadas de lama 
no chão recém-encerado. E não fique parado na soleira, essa palavra 
imponente que eu vinha guardando para dizer em alguma ocasião 
especial. Hoje é especial. Você esta à porta. Acabaram-se as danças 
de talvez. Vamos finalmente ser. Nos tornar. Explodir. Mesmo que não 
saibamos bem o que essa plenitude de ânsias fará com o sentimento. 
É o preço. 
Pressa. De converter pelo delírio os segundos, os milímetros que nos 
separam ainda em corpo e corpo. De banir a permissão do recuo.
De ser pecado. Esse contrato original firmado por todas as carnes que
arquejam. 
De ser consentimento. Esse cimento de infernos.


Share


Cinthia Kriemler
Formada em Comunicação Social/Relações Públicas pela Universidade de Brasília. Especialista em Estratégias de Comunicação, Mobilização e Marketing Social. Começou a escrever em 2007 (para o público), na oficina Desafio dos Escritores, de Marco Antunes. Autora do livro de contos “Para enfim me deitar na minha alma”, projeto aprovado pelo Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal — FAC, e do livro de crônicas “Do todo que me cerca”. Participa de duas coletâneas de poesia e de uma de contos. Membro do Sindicato dos Escritores do Distrito Federal e da Rede de Escritoras Brasileiras — REBRA. Carioca. Mora em Brasília há mais de 40 anos. Uma filha e dois cachorros. Todos muito amados.
todo dia 16


5 comentários:

Texto maravilhoso. Cinthia sempre nos comove.

Um belo poema. Gosto da poesia que não se intimida com a ideia e usa sem temor a forma como arquitetura, esteio do sentido; da poesia que é sobretudo texto e não foge do fato de que algo precisa ser dito.

Postar um comentário