Receba Samizdat em seu e-mail

Delivered by FeedBurner

sábado, 7 de junho de 2014

Tem dias

Imagem: Sitting On My Bed by skytabula

Tem dias
Nos quais não se deveria
Abrir os olhos
E escrever poemas

Tem dias em que não se deveria sequer pensar
Em escrever
Poemas

Na maior parte do tempo
Penso
Que não
Se deveria abrir
Os olhos
Quem dirá escrever
Poemas
Listas de compras
Notas de rodapé
Ou qualquer outra coisa

Tem dias em que não se deveria abrir
Os olhos

Mas uma vez que estejam abertos
O que nos resta
A não ser o refúgio
De um bom
Colo
Ou na ausência dele
Um poema

Um bom poema
Pode ser tudo
Pode ser a única coisa
Que nos resta
Pode ser a razão
Ou a desculpa
A nos manter
De olhos abertos
Suficientemente despertos
Até o fim
Do dia.

Dê-me um novo
Dia
E eu o suportarei
Com um poema

Ainda que seja velho
Pouco importa
Não conheço outro
Jeito.

Tem dias
Nos quais não se deveria
Abrir os olhos
E escrever poemas

Mas hoje...
Hoje se faz preciso
Hoje e, com sorte
Amanhã também
E depois e depois...
Assim espero!
Assim espero...

Até que os olhos possam se fechar
Como o último verso de um poema
Que reconhece a hora certa
De se entregar
Ao fim.

Share


Ju Blasina




todo dia 07


2 comentários:

Tem desses e daqueles dias que nem com poema ou sem deve-se fechar os olhos, quanto mais abri-los, visto que poemas e letras nos cansam, mas também nos dão vida.
Excelente. Gostei muito Ju.
Abraços.

Postar um comentário