Receba Samizdat em seu e-mail

Delivered by FeedBurner

terça-feira, 8 de maio de 2012

o estado natural




tenho sono e esta cama me busca

devolver uma certa dignidade perdida
mal conheço quem me permitiu deitar
mal me conhecem
mas vejam
cá estou
deitado

tenho sono e há silhuetas difusas do dia
caminhando nas paredes
e a luz que as projeta
ainda que eu não saiba de onde vem
vem

estou deitado
e a luz me atravessa

(eram tão mais definidas essas sombras na parede há um tempo curto...)

andei-me permitindo essas
luzes de través
quem olha

as sombras na parede
a luz que as cria sabe-se lá onde
mas a mim
ninguém

esta cama
agora
me está tingindo de sono
e meu corpo
parece não se importar

tudo mergulha lento 
na noite
neste quarto
em que sincera e
dignamente
permitiram-me dormir

a luz aquém, apaga
as silhuetas além, difusas
o meu corpo
aos poucos está voltando
ao estado natural
de ser opaco

 
 
 
 
 
publicado originalmente em http://dasartesimpuras.blogspot.com.br/2011/07/o-estado-natural.html

Share


Volmar Camargo Junior EDITOR DE POESIA
Volmar Camargo Junior, V., nativo de Cruz Alta, ativo em Rio Grande, é poeta, vendedor de livros. professor não praticante, arquivista em formação, pai do Dimitri. Escreveu os blogs Um resto de café frio e O balcão das artes impuras. Escreve o Verbo.

todo dia 08


0 comentários:

Postar um comentário