Receba Samizdat em seu e-mail

Delivered by FeedBurner

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

2 anos de Revista SAMIZDAT

Em nossa época, dois anos é uma eternidade.

Vivemos a era da velocidade, da instantaneidade, da efemeridade, da futilidade. Se Baudelaire definia a Modernidade como o apogeu da moda e do passageiro, quando tudo era e deveria ser substituído pela próxima novidade, a Pós-Modernidade nada mais é que a hipérbole desta definição.
O que antes era mensurado em milênios, séculos ou décadas, hoje é contado em minutos, segundos, ou frações destes.
A notícia de uma hora atrás é notícia velha. A novidade de ontem é obsoleta. O lançamento de hoje amanhã estará nas pontas-de-estoque. Tudo passa tão rápido e em tamanha quantidade que, nem se dedicássemos 24 horas de nossos dias para descobrir as novidades, seria impossível abarcar tudo.

Se já me surpreendi quando do primeiro aniversário da Revista SAMIZDAT, muito mais me surpreende ainda estarmos por aqui.
Em 2009, a revista passou por mudanças silenciosas: autores que nos acompanhavam desde as primeiras edições deram lugar a outros, perdíamos por um lado, mas ganhávamos por outro. Renovação, reinvenção...

Mas a SAMIZDAT, que a princípio havia causado um certo burburinho no submundo da Literatura em português, tornou-se, por sua vez, notícia velha. Prosseguimos porque nos divertimos, apesar da esmagadora sensação de falarmos para ouvidos surdos.

Quem nos lê? Quem está do outro lado? Existe alguém para além dos caracteres e palavras que ansiosos rabiscamos para lançá-los ao mundo?

Não temos certezas, mas possuímos alguns dados. Nestes dois anos, mais de 65 mil leitores passaram por aqui, 32 mil deles baixaram alguma das edições em .PDF da SAMIZDAT, somos 18 autores fixos e publicamos aproximadamente 750 textos, entre contos, crônicas, poemas, artigos, resenhas e entrevistas, dando a nossa humilde contribuição, gratuita e com a melhor qualidade que nossos talentos permitem, para a cultura lusófona.

Dois anos...

E como somos teimosos, persistentes, ou simplesmente não sabemos quando desistir, acredito que outros anos ainda virão.

Desejo meus parabéns a todos que tornam a Revista SAMIZDAT possível, autores e leitores, pois a trilha é árdua, mas a paisagem é bela!

Share