Receba Samizdat em seu e-mail

Delivered by FeedBurner

domingo, 8 de novembro de 2009

Laboratório Poético: indrisos

[córrego por onde escorre o tempo]


córrego por onde escorre o tempo
sentença tornada gelo
lago vazio de perguntas

só um dique, ora seco, ora raso
ora transbordando
comportaria essas águas todas

essas correntes às vezes caudalosas

não raro somem sem razão nenhuma


______________________________




[um barco deixou aqui uma caixa]

um barco deixou aqui uma caixa
depois, deixou o barco o porto
deixou, pois, p'ra trás, o horizonte

choveu, e a chuva manchou a caixa
deixei os nomes e a tinta irem p'ra junto d'água
não vi para quem era, nem de que se tratava

ventou e o vento trouxe o barco de volta

deixei o chão, o porto, a caixa, a tinta, e fui embora




__________________________

Share


Volmar Camargo Junior EDITOR DE POESIA
Volmar Camargo Junior, V., nativo de Cruz Alta, ativo em Rio Grande, é poeta, vendedor de livros. professor não praticante, arquivista em formação, pai do Dimitri. Escreveu os blogs Um resto de café frio e O balcão das artes impuras. Escreve o Verbo.

todo dia 08


1 comentários:

Gostei. Principalmente da passagem: "lago vazio de perguntas", que acabou ficando na minha cabeça por horas. Abraço!

Postar um comentário